Intergaleria | Quadros . Molduras . Telas . Gravuras . Posteres . Espelhos . Mapas

Eduardo suede-2
Sued-3

Obra “sem título” I – Eduardo Sued

NOSSOS TAMANHOS

A partir de R$ 4000.00 ou até 3x de R$ 1333.33

Moldura

ou até 3x de R$ 1333.33

A partir de R$ 4000.00

 

 

Tema: Abstrato Colorido

Tamanho Gravura:

70 x 80cm

Tamanho Quadro Final Preto/Branco:

90.4 x 100.4cm

Tiragem: 02/100

Peso da folha: 300 gramas

Serigrafia Original

Assinada à lápis pelo autor

Material: Serigrafia, também conhecido como silk-screen ou impressão a tela, é um processo de impressão à base de estêncil na qual a tinta é forçada através de um crivo fino para o substrato abaixo dela. As telas foram feitas originalmente de seda e, por este motivo, o nome de origem grega – seri (seda) e gráfia (escrever ou desenhar).Hoje, as telas são desenvolvidas em poliéster ou nylon, finamente tecidas. Esta é uma técnica de impressão muito versátil e permite obter uma grande variedade de resultados.

Moldura: 

Acabamento Preto/Branco 3 x 20cm. Base feita com passe-partout 7cm cada borda.

Obs: As gravuras sem molduras são vendidas sem passe-partout.

REF: GOES03

Sobre o Autor


Eduardo Sued

Gradua-se na Escola Nacional de Engenharia do Rio de Janeiro, em 1948. No ano seguinte estuda desenho e pintura com Henrique Boese (1897 - 1982). Entre 1950 e 1951, trabalha como desenhista no escritório do arquiteto Oscar Niemeyer (1907). Em 1951, viaja para Paris, onde freqüenta as academias La Grande Chaumière e Julian. Em sua estada na capital francesa entra em contato com as obras de Pablo Picasso (1881 - 1973), Joán Miró (1893 - 1983), Henri Matisse (1869 - 1954) e Georges Braque (1882 - 1963). Retorna ao Rio de Janeiro em 1953 e freqüenta o ateliê de Iberê Camargo (1914 - 1994) para estudar gravura em metal tornando-se mais tarde, seu assistente. Leciona desenho e pintura na Escolinha de Arte do Brasil, em 1956 e, no ano seguinte, transfere-se para São Paulo, onde ministra aulas de desenho, pintura e gravura, na Fundação Armando Álvares Penteado - Faap, de 1958 a 1963. Em 1964, volta a morar no Rio de Janeiro e publica o álbum de águas-fortes 25 Gravuras. O artista não se vincula a nenhum movimento mantendo-se alheio aos debates da época. Sua carreira teve uma breve etapa pautada no figurativismo, mas logo se encaminha para abstração geométrica. Nos anos de 1970, aproxima-se das vertentes construtivas, desenvolvendo sua obra a partir da reflexão acerca de Piet Mondrian (1872 - 1944) e da Bauhaus. Entre 1974 e 1980, ministra aulas de gravura em metal no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ.

DEIXE A SUA AVALIAÇÃO

636481